“No final ela morre e ele fica sozinho”

A PRIMEIRA MENTIRA QUE JULIO CONTOU A Emilia foi que tinha lido Marcel Proust

Posso dizer que essas férias (incrivelmente curtas) renderam bastante até, no quesito Livros Lidos. Contudo fiquei longe de cumprir minha Meta de leitura. Acabei excluindo alguns títulos da lista e acrescentando outros no lugar, e o Bonsai do Alejandro Zambra fui um dos listados. Na verdade, fiquei um pouquinho desmotivada em lê-lo, a sinopse só descrevia mais umas daqueles romances que juram que serão “diferentes” e “originais”, mas no fim acabam seguindo a mesma estrutura. É…de fato esse livro é único. Julgar é humano, ok?! Pois é, levei um belo de um tapa na cara quando comecei a ler o primeiro parágrafo:

No final ela morre e ele fica sozinho, ainda que na verdade ele já tivesse ficado sozinho muitos anos antes da morte dela, de Emilia. Digamos que ela se chama ou se chamava Emilia e que ele se chama, se chamava e continua se chamando Julio. Julio e Emilia. No final, Emilia morre e Julio não morre.

No trecho acima já nos apresenta dois personagens, Emilia e Julio. Um casal comum. Não houve amor à primeira vista. Mas sim uma identificação um com o outro. Ambos estudantes de Literatura que partilham questões pessoais e gostos literários. Até aí, não vi nada diferente dos outros livros. Calma aí hermano! A história não se enquadra apenas nos dois. Afinal, no começo do livro é esclarecido que o relacionamento deles não prossegue. E Julio é o personagem principal, mas não é o indivíduo que guia a narrativa. Cada personagem que surge ao longo do livro recebe páginas (ou parágrafos) dedicada a fazer um breve resumo da mesma. Destacando informações que podem ser importantes (ou não).

As extravagâncias de Julio e Emilia não eram apenas sexuais (que existiam), nem emocionais (que eram muitas), mas também, digamos, literárias. Numa noite especialmente feliz, Julio leu, meio que de brincadeira, um poema de Rubén Darío que Emilia dramatizou e banalizou até transformá-lo num verdadeiro poema sexual, um poema de sexo explícito, com gritos, com orgasmos. Então virou um hábito o lance de ler em voz alta – em voz baixa – toda noite, antes de trepar.

Afinal, o que é Bonsai? De origem Chinesa, Bonsai é uma árvore miniatura cultivada em vasos/recipientes pequenos. Plantas desse porte necessitam da dedicação total do cuidador para continuarem saudáveis e bonitas. Dependendo do observador, Bonsai pode ser visto como uma expressão artística da Natureza. E onde um Bonsai entra na história?  Depois do termino do namoro (a vida continua), Julio recebe a oferta do peculiar escritor, Gazmuri, para transcrever seu mais novo romance, esse que se recusa a aderir a modernidade tecnológica e persiste no seu hábito em escrever seus livros à mão. Animado com o convite e acreditando que a oportunidade já estava sob seu domínio, Julio anuncia a María, sua vizinha, sobre o convite.  Porém, essa oportunidade não sucedeu. E para não desmentir a notícia anterior, sustentou a mentira criando uma história sobre o livro, e que “por acaso” um Bonsai era um dos personagens inanimados. (Leia para descobrir mais ;))

¿Qué sentido tiene estar con alguien si no te cambia la vida?
Qual o sentido de ficar com alguém se essa pessoa não muda a sua vida?

O que posso dizer sobre Alejandro é que ele narra de forma agradável. Momentos em que poderia ser explorado para o lado da tristeza, ele consegue contorce isso, escreve com um teor indiferente, habitual. Apesar do Bonsai entrar na categoria de Romance, o autor consegue ultrapassar essa barreira de gênero e adentrar no aspecto excêntrico. Ao mesmo tempo leve e cruel, que faz com que o leitor nem perceba essa diferença de densidade (pelo menos os meus sentidos acharam isso). O livro é bem curtinho (menos de 100 páginas), a leitura flui tão rápido que a noção de tempo se perdeu, e a minha mente jurava que eu estava ali há menos de 5 minutos. E não posso deixar de falar das várias citações sobre livros e músicas ao longo da história. Pois é. Além de ser uma história encantadora, é recheada de referências o-t-e-m-a-s. Queria falar sobre o desfecho, mas vou deixar você descobrir ;)

Para terminar, extraí uma das indicações do livro, a linda Violeta Parra

Escute aqui > La Jardinera – Violeta Parra.

Foto: Will Mork
Anúncios

Quer deixar um recadinho?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s